top of page

Cianeto: um dos compostos mais letais do mundo


Você já assistiu algum filme de espiões ou de guerra onde alguns dos vilões são capturados e, na hora que vão interroga-los, eles mordem uma pílula e se matam para não passarem nenhuma informação para o lado inimigo? Muito provavelmente aquela pílula continha cianeto em sua composição, um dos compostos mais tóxicos conhecidos no mundo.

O cianeto (CN-) é um sal inorgânico do ácido cianídrico (HCN) e sua toxicidade se dá pela facilidade que esse sal tem em se ligar à hemoglobina presente no sangue e ao íon férrico (Fe3+) presente na cadeia respiratória faz parte da enzima citocromo oxidase a3. A hemoglobina, como sabemos, é responsável por carregar o oxigênio que respiramos para todo o nosso corpo, então uma vez que o cianeto se liga a ela, a hemoglobina perde a capacidade de transportar o oxigênio e, assim, o cianeto leva à morte muito rapidamente.

No metabolismo celular normal, a maior parte da adenosina trifosfato (ATP), a energia do corpo, é gerada a partir da fosforilação oxidativa. Uma parte importante desse processo é o transporte de elétrons por meio do complexo mitocondrial do citocromo. O cianeto tem boa absorção respiratória e gastrintestinal, com rápida distribuição pelo sangue. O cianeto liga-se avidamente ao íon férrico (Fe3+) da citocromo oxidase a3, bloqueando a fosforilação oxidativa. A célula deve, então, mudar para o metabolismo anaeróbico da glicose para gerar ATP e essa mudança é o que leva à elevada toxicidade do cianeto ao corpo.


Figura 1. Cadeia respiratória. O cianeto bloqueia o complexo IV, no canto direito da imagem. Fonte: Mirandela, 2016.

As características clínicas do envenenamento por cianeto dependem da rota, da duração e da quantidade de exposição. Nas intoxicações leves, os pacientes podem apresentar náuseas, vômitos, cefaleia, confusão mental e tonturas. Em intoxicações moderadas a graves, ocorrem alterações proeminentes do Sistema Nervoso Central (SNC) e disfunção do sistema cardiovascular.

Este composto tão perigoso é utilizado em muitos tipos de banhos galvânicos, como os de cobre alcalino, prata, ouro e níquel free para oferecer uma melhor deposição de camada. Portanto, no refino de metais proveniente de banhos galvânicos, o cianeto se encontra presente em várias ocasiões onde se deseja retirar ouro e prata, incluindo banhos e soluções desplacantes.

Com isso, é de extrema importância estar preparado e tomar muito cuidado ao manipular soluções contendo cianeto como, por exemplo, evitar trabalhar sozinho no local que contenha o composto, nunca comer ou beber nesse local e sempre rotular os frascos e recipientes que contenham cianeto. Outro cuidado extremamente importante é NUNCA misturar soluções contendo cianeto com ácidos pois o CN- volta a se tornar HCN, o qual se desprende da solução como um gás, levando ao grande perigo de inalação desse ácido extremamente tóxico. Uma vez em contato com o cianeto, os primeiros socorros precisam ser imediatos, com o antídoto aplicado prontamente.

Reforçando mais uma vez, ao trabalhar com soluções contendo cianeto, o cuidado e a atenção nunca serão demais, então tome todo o cuidado possível para prevenir que acidentes e fatalidades ocorram durante seu trabalho. E se você não tiver as condições de segurança necessárias para a manipulação desse produto, EVITE TRABALHAR COM CIANETOS!


Siga-nos no Instagram @aurhora_analises, curta nossa página no Facebook (Aurhora Análises) e assine nossa newsletter para mais conteúdos como esse!

31 visualizações0 comentário

Komentar


bottom of page