top of page

As manchas pretas nas peças de prata

A prata é um metal nobre que possui uma cor branco-prateada muito característica e bastante requisitada em peças de joalheria. Porém, algumas peças feitas deste metal podem apresentar manchas escuras indesejáveis com o passar do tempo ou até mesmo logo depois da sua fabricação. Estas partes escuras na prata podem ser explicadas de duas maneiras, porém com o mesmo príncipio: Fire Scale e sulfeto de prata. Esses dois fenômenos tratam-se do processo de oxidação de metais, o primeiro do cobre e o segundo da prata.


Fire Scale - manchas que aparecem na fabricação da joia


Mas como assim cobre? Quando comprei meu anel disseram que era um anel de prata! Será que me enganaram?

A prata na joalheria geralmente é prata 925, ou seja, a composição da peça contém 92,5% de prata e os 7,5% restantes são cobre. Essa pequena fração de cobre da peça pode ser responsável pelo aparecimento das manchas escuras na superfície do objeto de prata.

No processo de soldagem, a peça reage diretamente com oxigênio presente na atmosfera ou também com o gás oxigênio utilizado no maçarico de solda. Com a prata o O2 (oxigênio) não reage, porém, o cobre presente pode reagir formando uma camada de óxido na superfície da peça e é esse óxido de cobre que vemos como manchas escuras na superfície das peças.


Figura 1. Fire Scale em anel de prata formado pelo cobre oxidado.

A camada oxidada pode chegar a ser grande o suficiente que o polimento da peça para a retirada dela pode danificá-la. Para prevenir que o Fire Scale aconteça, um dos métodos mais utilizados é o uso de fluxo de solda no processo de soldagem do material. A peça é toda revestida pelo fluxo, o qual possui a função de proteger a peça do oxigênio e remover os óxidos formados.

Figura 2. Camada de óxido formada na superfície do material. Quando muito espessa, o polimento para removê-la pode danificar a peça.

Sulfeto de prata – manchas que aparecem com o tempo

A segunda forma que manchas escuras podem aparecer nos materiais feitos de prata também é pela oxidação, só que nesse caso se trata da oxidação da própria prata.

A prata, como todo metal, está sujeita ao processo de oxidação, que nada mais é do que a perda de elétrons. Com o tempo e uso das peças de prata, elas vão adquirindo uma coloração mais escura devido à sua oxidação. Essas manchas pretas que se formam nada mais são do que a prata oxidada na forma de sulfeto de prata (Ag2S).

Figura 3. Sulfeto de prata.

O sulfeto de prata é um sal de prata formado pela reação com alguns gases contendo enxofre. É um sólido escuro que se deposita na superfície do metal, formando as indesejáveis manchas escuras que acabam com a beleza e o brilho do material.

Figura 4. Objetos de prata oxidados. O material perde o brilho e a cor característica da prata metálica.

Esses gases responsáveis por formar o sulfeto de prata estão presentes na atmosfera, como o gás sulfídrico, o qual é proveniente da decomposição de material orgânico, e o dióxido de enxofre, cuja origem é a queima de combustível de veículos. O suor também ajuda na formação do sulfeto de prata. Os sais dissolvidos nele, principalmente o cloreto de sódio, favorecem a deposição dos gases de enxofre na superfície do metal, facilitando a reação de formação das manchas escuras.

Uma forma de 'limpar' a prata é utilizando bicarbonato de sódio, um pedaço de papel alumínio, água quente e sal. Deste modo, a prata vai deixar sua forma oxidada e recuperar sua forma reduzida, sumindo assim as manchas escuras da superfície do metal.

Figura 5. "Limpeza" da prata com bicarbonato e alumínio. Esse processo é uma reação de oxirredução, onde a prata é reduzida enquanto o alumínio é oxidado.

3.203 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page